A Polícia Civil de São Paulo investiga a invasão de um conjunto habitacional ocorrida no fim de semana no Itaim Paulista, zona leste da capital. A Polícia Militar foi acionada ontem (3) para fazer a retirada do grupo que entrou nos imóveis que já estão prontos, mas ainda não foram entregues aos beneficiários.

Uma mulher foi presa, segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo, suspeita de negociar os apartamentos e organizar a ação. “A invasão a um conjunto habitacional na Vila Curuçá é investigada pelo 67º Distrito Policial (Jardim Robru). Uma mulher foi detida, ouvida e liberada. Ela é investigada por ser responsável pela negociação dos imóveis e organizar a invasão”, diz a nota da secretaria. Não foi informado, no entanto, quantas pessoas participaram da ação.

Os residenciais Osório C e D foram construído pela Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo (Cohab) com recursos do programa Minha Casa Minha Vida. Segundo a Secretaria Municipal de Habitação, foram investidos R$ 53,7 milhões para fazer as cinco torres, sendo três do condomínio C, com 215 apartamentos, e duas do condomínio D, com mais 150 unidades habitacionais. Além do dinheiro do governo federal, há participação do governo estadual e da prefeitura paulistana.

Em setembro de 2019, foi feito um evento para que os futuros moradores escolhessem os apartamentos. Cada apartamento tem dois quartos e 47 metros quadrados.

Com informações da Agência Brasil